InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe
 

 ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte
AutorMensagem
Fenris
JOGADOR
Fenris

Mensagens : 77

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptyQui Dez 06, 2018 1:36 am

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Divider-clipart-forum-6

A alquimista sorriu, por fim, zonza, mantida de pé apenas por algum treinamento antigo que não se lembrava. Colocou a cimitarra na bainha e mesmo sangrando, se virou para Angra, rindo como se não houvesse amanhã. Um suspiro escapou dos lábios púrpura assim como palavras, quase assopradas:

Delilah escreveu:
ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 DdIaAk2
- Eu não acredito que ganhamos.

Se apoiando levemente em Angra, tocou seus lábios na bochecha da ruiva rapidamente, consumida pelo êxtase da batalha como estava, quase de propósito encostando levemente na boca. Não ligava de não saber quem era, naquele momento ela se sentia mais viva do que nunca. Ou pelo menos, o mais viva que estivera desde que acordara naquele campo. E então, se virou para Ikarus.

Delilah escreveu:
ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 DdIaAk2
- E você, Ikky. Meu deus, eu poderia te beijar agora.

Se aproximou dela, tomando um frasco de elixir de Raffard. Sentiu seus ferimentos se fechando rapidamente, e logo deu um pequeno salto. Se aproximou da elfa do céu, ainda se recuperando das feridas, o elixir fazendo efeito:


Delilah escreveu:
ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 DdIaAk2
- E até mais, se quiser...


ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Divider-clipart-forum-6

OFF escreveu:
Se mantém de pé com Meditação, toma elixir de Raffard recuperando 12 PV's.  
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
DiceScarlata
JOGADOR
DiceScarlata

Mensagens : 163

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptySex Dez 07, 2018 2:33 am

Angra dos Cabelos de Fogo!

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 2mzcz2f

*Angra baixou a espada e o escudo com um sorriso de alguém que esperava o resultado, mas fiou aliviado ao recebe-lo mesmo assim. Até mesmo de uma risada infantil ao receber o beijo de Delilah, a abraçando amistosamente*

- Bom trabalho, Rose, Cecilia, Delilah...

*Caminhou até perto de Ikarus, enquanto embainhava a espada*

- E você, minha amiga. Eu DISSE que você seria o nosso trunfo nesta batalha. Estava certa. Acredito que esta fênix aqui jamais teria caido ante alguém como cutelo, se tivesse suas chamas ao meu lado desde o inicio. Obrigada.

*Tocou o ombro da amiga e passou reto rumo aos reféns, olhando ao redor ainda atenta a possíveis armadilhas*

- Vasculhem o corpo e os espólios. Fiquem de olhos abertos*

*Parou diante dos reféns, estufou o peito e deixou a voz fluir*

- Sou Angra dos Cabelos de Fogo! Em nome da ordem do fogo rubro... Não, em nome de seus amigos e entes queridos, nós viemos aqui salvá-los!! Hoje, a vitória é da vida!!

*Ergueu o escudo em vitória*

- MAS! Ainda temos de levá-los em segurança. Não baixem a guarda.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Aldenor
JOGADOR
Aldenor

Mensagens : 132
Localização : Curitiba

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptySex Dez 07, 2018 9:28 am

Depois de fulminar a mulher com sua mágica, Cecília sentiu uma tontura leve e precisou respirar fundo para se recuperar brevemente. Ikarus disparou uma flecha terrível e acabou matando-a. Na consequência disso, todos os kobolds se renderam. Cecília, enfim, relaxou os ombros. Não por confiar nos kobolds, mas por desacreditar que eram uma ameaça desde o começo.

Cecília caminhou entre eles, ignorando até mesmo o lobo com sangue de um dragão devasso. No caminho, viu Delilah, outra devassa, abraçar e beijar Angra perto demais de sua boca.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 BZyLnZF...
Imaginou-se fulminando a mulher de olhos amarelos com sua mágica e em milhares de desculpas para justificar seu ato vil. Lembrou-se de seu pai.

Flashback escreveu:

Aldred via Cecília gesticulando e falando aquelas palavras na língua dos dragões, disparando pequenos torpedos brilhantes, incapazes de fazer mal a uma simples pilha de toras de madeira. O jardim da Casa dos Maedoc era grande e vasto em pilhas assim, lenhados por Fenyra para a ceia. Cecília ficava muito irritada com sua mágica, queria ser mais poderosa a todo custo e não demonstrava lidar muito bem com sua frustração. Mas ela tinha apenas 12 anos.


ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Xd5teRI
Os sentimentos ruins podem aparecer de vez em quando, talvez tu tenha vontade de fazer algo... no impulso. Não faça nada assim, pois o arrependimento é o pior companheiro de uma vida. 

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 RDWbKuQMas pai, eu quero fazer tudo certo. Quero que os raios destruam aquelas madeiras, faz um tempão que tento e não dá nada.

Aldred suspirou, um pouco preocupado.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 5UyUQkxTu é muito nova ainda, não se preocupe, querida. Você vai conseguir dominar essa mágica... poderes chamados "arcanos" são mesmo complicados. Tu não deve se preocupar agora.

Cecília, entretanto, não aceitava aquilo.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 RDWbKuQAaaah, não quero esperar. Quero agora.

E, dessa vez, ela produziu chamas de suas mãos que puseram, enfim, algumas toras de madeira abaixo.

Anos depois, Cecília veio a descobrir que aquela preocupação e cautela toda era o medo de seus pais da Rainha Eterna ter tomado seu corpo e suprimido a verdadeira filha deles. Cecília respirou fundo ao chegar ao corpo da mulher dragão, estirado no chão.

Tocou-lhe a testa e fechou os olhos. Uma aura dourada envolveu suas mãos e depois o corpo da mulher. Ao se levantar novamente, Cecília sentiu o poder fluir dentro de si. Havia, de fato, absorvido os poderes daquela mulher. 

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 CNEYNphNão, não são os poderes dela. São os meus. Eu agora posso... ghipsklap rifstejar cayosin...

Uma linha dourada como uma lâmina surgiu alinhando seus dedos, mão e antebraço. Como se a empunhasse, Cecília moveu a mão e uma onda dourada disparou sobre um kobold. Errou, acertou a parede rochosa da caverna, provocando uma pequena rachadura.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 N1NGGAmOh.

Gesticulou de novo, mas dessa vez, com técnica. Afastou as pernas, centrou o peso do corpo na cintura e, como num golpe com sua katana, disparou de novo o corte dourado no kobold. Dessa vez, o partiu ao meio.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 XjUxRhOHeh. Agora sim.

Sorriu satisfeita, encarando suas mãos. Tinha ficado mais poderosa. Olhando para a mulher dragão, pegou sua lança de lâmina negra, adornada. Era balanceada, um pouco mais pesada que o normal, mas ainda assim magnífica e funcional. Pensou em ficar com ela, mas estava empolgada com seu novo feitiço. Virou-se para Angra e sua felicidade se perdeu um pouco pela proximidade com Delilah.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 FELijflHum? Angra. Veja, essa lança comina com você.

E entregou em sua mão, antes dela se dirigir aos reféns, os quais não se dava ao trabalho de se preocupar, pois certamente já seriam bem cuidados pela cavaleira. Cecília ainda dedicou um olhar de superioridade para Delilah.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 N1NGGAmVencemos a mulher com certa facilidade, mas não se enganem. Ela não deve ser o tal feiticeiro que amedronta a região. Nossa busca continua.

E se virou dando-lhe as costas.

Ação de Cecília escreveu:
Cecília subiu de nível para Feiticeira 3

Conjura lâmina invisível menor duradoura por (2 PM) com duração de 24h.

Faz um ataque em um kobold e tira 8, errado.
Faz um ataque no mesmo kobold usando Luta Galante e tira 22, dano 11, matando-o.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
0_Sol
JOGADOR


Mensagens : 102

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptySex Dez 07, 2018 12:56 pm

Sua flecha tinha resolvido a contenda. Os Kobolds se renderam, e até jogaram suas armas ao chão.

Ikarus não vacilou, manteve seu arco em mão. Não podia imaginar o que se passava na mente dos lagartinhos. Mesmo assim desceu ao chão ao alcance das companheiras.

As moças se aproximaram lhe parabenizando. Primeiro Delilah.

Delilah escreveu:
ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 DdIaAk2
- E você, Ikky. Meu deus, eu poderia te beijar agora.
- E até mais, se quiser...




ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 1JgFJE1- Ah, obrigada. Não sei bem o que você quer dizer, mas eu aceito uma massagem nas asas quando sairmos daqui.
Em seguida Angra.

Angra escreveu:
ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 2mzcz2f- E você, minha amiga. Eu DISSE que você seria o nosso trunfo nesta batalha. Estava certa. Acredito que esta fênix aqui jamais teria caido ante alguém como cutelo, se tivesse suas chamas ao meu lado desde o inicio. Obrigada.

o comentário da amiga fez a elfa corar.




ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 1JgFJE1- Ah, não diga isso. Eu só desferi o golpe final, quem provavelmente causou o maior dano foi a Celilia.
Ao dizer isso a abençoada se vira em direção à feiticeira. Que acabara de conjurar um feitiço, e de modo displicente e horrendo, testava-o em um dos kobolds rendidos. O erro fez o Ikarus prenter o ar. o ataque seguinte, trouxe a tona uma raiva que ela própria não sabia possuir



ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 1JgFJE1- CECILIA!!! -berrou a elfa- SERÁ QUE VOCÊ TEM MENOS NEURÔNIOS QUE NOSSOS KOLEGAS KOBOLDS AQUI???
- Não vê que ainda estão em superioridade numérica?-Caminhava em direção à garota humana-
- Não vê que estão rendidos?
- Não percebe que são criaturas vivas com os mesmos direitos que você? E NEM DE LONGE TÃO CRUÉIS!
- Você devia ter vergonha!!!!
- Rainha eterna?? Pffffff com um comportamento desse não é capaz nem de ser uma escudeira por uma semana!.
A essa altura Ikarus estava a menos de um passo de distância!




ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 1JgFJE1- E saia da frente. vou impedir que essa mulher morra, se ainda puder fazer isso.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Aldenor
JOGADOR
Aldenor

Mensagens : 132
Localização : Curitiba

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptySex Dez 07, 2018 2:19 pm

Cecília havia dado as costas para Delilah, após falar sobre o possível verdadeiro inimigo quando viu Ikarus se aproximar aos berros insultando-a.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 UDHkY98Como é? Como se atreve a falar assim comigo?

A linha dourada voltou a brilhar no antebraço direito de Cecília quando o ergueu em postura de ataque.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 UDHkY98Ou você retira o que disse, ou ouse testar a minha ira!

Disse com raiva. Não podia deixar que fosse tratada daquela forma. Afinal, era a Rainha Eterna!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
John Lessard
ADMINISTRADOR
John Lessard

Mensagens : 201

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptySex Dez 07, 2018 8:14 pm

Parte 3 - A Caverna dos Kobolds[/center]

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 WyrmGuard_Kobolds_by_DaveAllsop

Delilah se aproximava das companheiras, cansada, mas viva e enquanto Angra e Ikarus trocavam algumas palavras, a mulher de cabelos vermelhos clamando a vitória e trazendo maior peso para aquele momento, Cecília se encarregou de descobrir quais magias a Mãe teria sobre si, além disso apanhou sua lança, entregando a Angra logo depois, enquanto percebia que seus próprios poderes haviam aumentado.

A vassala se deixou aproximar dos jovens com seus olhos arregalados. Uma garota agarrou seu braço.

Citação :

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 UqbmTBy

- Vieram nos salvar? Há dois de nós que foram levados ainda ontem para... A Torre.

Todos contorceram seus rostos, até que um garoto resmungou.

Citação :

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 So0x4WO

- Levaram o guerreiro de cabelos loiros também...

A atenção da mulher então voltou-se as companheiras novamente. Cecília acabava de matar um kobold, o partindo em dois com uma magia, enquanto Ikarus se revoltava com sua atitude e partia para tentar salvar a vida da líder daquele bando, enquanto os demais pequenos lagartinhos se encolhiam de medo.


Citação :
Fichas e Status
Roselynn: <> PV 19/19 <> CA 16/16 <> PM 0/0 <> PE: 0/0 <> PA: 1 <> Condição:
Cecília: <> PV 14/14 <> CA 21/13 <> PM 3/13 <> PE: 0/0 <> PA: 0 <> Condição:
Angra: <> PV 24/29 <> CA 19/19 <> PM 0/0 <> PE: 3/3 <> PA: 2 <> Condição:
Ikarus <> PV 24/24 <> CA 18/18 <> PM 7/11 <> PE: 0/0 <> PA: 1 <> Condição:
Delilah: <> PV 13/22 <> CA 20/18 <> PM 0/0 <> PE: 3/3 <> PA: 1 <> Condição:
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://forumdomamute.forumeiros.com
DiceScarlata
JOGADOR
DiceScarlata

Mensagens : 163

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptySab Dez 08, 2018 1:27 am

Angra dos Cabelos de Fogo!

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 2mzcz2f

*O guerreiro loiro* 

*Gelo desceu pela garganta de Angra e instalou-se em seu estomago. Os pensamentos constrangidos que sentia pela provocação de Delilah a Ikarus foram completamente apagados. Começou a pensar. Considerar. Como Rodrick poderia ser derrotado e levado? Mesmo essa mulher, junto com os lobos e hordas kobolds não o venceriam. Foi a magia do feiticeiro? Era tão forte assim? Que chance teriam. Um dia... Muito tempo. Nesse tempo é possível causar muito sofrimento e milhares de atrocidades. Precisava correr. Imediatamente. Pegar em armas e atacar!! JÁ!* 

*Não.* 

*Respirou fundo. Relaxou os punhos. E o som do mundo voltou a si. O reféns eram prioridade. Rodrick era forte e saberia se cuidar. O que tinha de fazer agora era cumprir essa promessa.*

- Muito bem..

*Então o brilho de uma lâmina arcana fez seus olhos se arregalarem, quando o Kobold morreu, sem direito a uma defesa* 

-
... 

*Indiferente a morte dele, Cecilia a encarava, com uma lança em mãos, oferecendo-a para a vassala. Angra mal pôde dizer algo, quando Ikarus colocou-se a frente. Era obvio. Eram da mesma ordem, ensinadas a defender os fracos, acreditar na vida e viver pela luz. As três chamas. A trindade. Podia ver que sua veterana estava enfurecida e com total razão. Sentia uma nuvem negra se formar ali trazendo perigo e o risco de desunião. Sequer estavam seguras e uma luta interna estava prestes a explodir. Não perdeu tempo invejando os lideres que conseguiam manter grandes batalhões unificados, quando apenas duas pessoas era tão complexo. Nem se preocupando com Rodrick. Ou com a morte causada pela companheira que tanto amava. Fogo queimava dentro si. Um fogo frio e puro. Que a manteve em si* 

"Há fogo dentro de você. Tanto que escapou de seu corpo e agora queima em seus cabelos, minha Cabelos de Fogo. Dizia sua avó* 

- Chega. 

*Angra caminhou calma. Não havia pressa. Pressa era desespero. Calma era controle. Parou entre Cecilia e Ikarus. Em uma linha de fogo que a feiticeira não poderia cruzar. Caminhou em direção a ela, olhando para a lança que lhe era oferecida como espólio. A ignorou e encarou a garota. Pouco mais nova que ela... Mas uma pequena diferença que era gigantesca. Uma irmã mais nova. Uma filha.*

- Cecil...

*E o tapa veio mais pesado que um soco. Um peso não trazido pela força, mas pela sentimento. Antes que houvesse uma resposta, outro. Na outra face. Com as costas das mãos. Este doeu mais em Angra. Ferindo sua falha como líder. Falha que permitiu que essa menina caísse e passasse por tanta atrocidades sem ela para lhe ajudar. Falhou com ela. E agora, seus atos, eram consequências de Angra também* 

*Depositou a mão na bochecha da menina, devagar* 



- A ardência em seu rosto vai passar. Mas enquanto dói, pense nela. Pense na segunda dor que meus atos lhe causaram. Como é ser ferida por quem ama. A raiva, mágoa e ressentimento que sente.

*Então virou o rosto da menina em direção aos demais Kobolds rendidos*


- Pois saiba que sua dor é ínfima, comparada a deles. Renderam-se por admitir a derrota. A vergonha de falhar só não foi maior pelo medo de suas vidas. Aqui é seu lar. A líder que os guiava caiu. E agora os inimigos a quem se entregaram os massacra. Assim morre esperança. No lugar nasce o desespero. Ódio. Os dois juntos trazem vingança. É isso que resulta da morte imposta. A que vem antes da hora. A cruel. 

*Então puxou Cecilia para perto de si a abraçando* 

- Você me disse que foi criada por heróis. Quero que se lembre, que quando você realiza um ato mal, não é a mim que está ofendendo. Está cuspindo na cara daqueles que a criaram. Para ser mais do que isso. Melhor do que isso. Alguém que protege, não destroi. Afinal...

*Afastou a garota e tomou a lança em mãos* 

-
Matar é fácil. Você mesma poderia fazê-lo comigo agora. Eu poderia matá-la. Os reféns poderiam matar para viver. Simples. Mas por que não tenta trazer a vida? Isso sim, é um dom. Um presente de Thyatis. Mas por sorte... Todos tem direito a uma segunda chance. 

*Angra acariciou os cabelos da menina*

- Obrigada pela lança. Quando se sentir melhor e pronta, peça desculpas a Ikarus por ameaçá-la. Ela não ofendeu a rainha eterna. Ofendeu a você que cometeu um erro. E esta você vai ficar para trás, mesmo que o erro permaneça para sempre. 

*Caminhou até os Kobolds que restaram. Lança em punhos. Uma vez diante deles, ergueu a arma, colocando-se como sua antiga líder. Sinalizando quem detinha o poder agora. Rugiu. *

- AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

*Um rugido feral e monstruoso. Apertou a lança nas mãos e bateu forte o cabo contra o chão. Então ajoelhou-se. Soltou arma. Soltou o escudo e os encarou* 


- Me desculpem. A vida que lhes foi tirada... Eu não tenho dom para compensar. Também não posso oferecer nenhuma em troca, muito menos a minha. Mas fora da batalha, cada vida é importante. O erro foi cometido por um dos meus, sob meu comando. A culpa é minha. Então, ofereço o único pagamento que posso dar agora. 

*Olhou para Cecilia e sorriu* 

- Este será seu castigo, minha doce Cecil. Lembre-se que agora somos uma família também. E seus atos, são meus também. Lembre-se. 

*E com a lança nas duas mãos, Angra, perfurou o próprio olho esquerdo*


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Aldenor
JOGADOR
Aldenor

Mensagens : 132
Localização : Curitiba

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptySab Dez 08, 2018 7:58 am

Cecília encarava Ikarus com bastante raiva, mas quando viu Angra se aproximando, já antevia mais ou menos o que viria. Um sermão, uma bronca em ambas e...

O tapa veio num rompante inesperado.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 UNStPE9...

A raiva deu lugar à tristeza, num misto de mágoa e culpa. Enquanto ouvia as palavras de Angra, as rejeitava depois do golpe, se fechava. Mas no fundo, pensava se estava mesmo fazendo abominações. O que seus pais teriam pensado em sua atitude? Olhou de relance para os kobolds e conseguiu enxergar o medo e a agonia de cada um deles em ser a próxima vítima de um teste de seus poderes.

Flashback escreveu:
Cecília disparava um raio nos fundilhos de um goblin carteiro que saía correndo balançando a bolsa enquanto segurava a bunda. Cecília riu muito daquilo, só parando quando Fenyra a puxou bruscamente pela mão que apontava cruelmente o goblin.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 JWi2ZvUO que pensa que está fazendo? Por que fez isso com o pobre carteiro?

Cecília a encarou como se não entendesse.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 RDWbKuQUé, ele é um goblin.

Fenyra puxou a filha para dentro de casa, uma torre na Baixa Vila de Lena.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 JWi2ZvUCecília, ele era o carteiro. Um homem que não te fez mal nenhum. Não sei da onde você tirou essa história de que pode atacar pessoas por aí. Sei que não veio de casa. Você está de castigo por uma semana. Sem truques mágicos. E se fizer, mais castigo. E eu saberei se fizer escondido.

E sabia mesmo. Sua mãe era implacável. Cecília ameaçou chorar, mas ficou com raiva.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 S5ZYUDKNão é justo! Você e o papai matavam goblins antes. Ele era só um goblin! E eu tava brincando.

Não entendia como um castigo podia vir de uma brincadeira, então Fenyra a colocou sentada numa cadeira e abaixou-se para falar à sua altura.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 JWi2ZvUGoblins são pessoas, Cecília. Como eu e como você. O mundo é grande em raças diferentes e cada uma delas, inteligentes ou não, são criaturas com sentimentos e não merecem ser alvo dessas brincadeiras. Sua mágica, no futuro você verá, é poderosa e machuca muito. Não pode atacar as pessoas nem animais, independente se for um humano, goblin ou um cachorro.

Fenyra a olhava com preocupação. Na época, Cecília não sabia, mas o receio de que a filha se embebedasse pelo poder da Rainha Eterna e não encontrasse distinção moral para freia-la era grande.

O brilho dourado da lâmina mágica sumiu de seu antebraço quando os braços abaixaram para receber o abraço de Angra. Inerte, só o aceitou e chorou em seu ombro, como uma criança. Estava sentindo o peso de seus atos, pois antes não via kobolds ou qualquer inimigos como "gente". Talvez houvesse faltado essa parte nas canções dos bardos ou nas histórias de aventureiros: os inimigos também sentiam dor, sofriam e deixavam entes queridos para trás.

Cecília não pensava nos mortos, não se colocava no lugar de quem matava e já formam alguns e de maneiras a não lhe deixar nenhum remorso. Mas agora, quando Angra a deixou de abraçar para alisar seu rosto, Cecília sentia o peso de cada uma delas. Aquele toque suave agora doía mais do que o tapa. A lembrança do carroceiro que matou na estrada logo depois de voltar à vida veio forte em sua mente. Talvez, se não tivesse sucumbido à raiva e tivesse enxergado nele um ser humano, não o teria matado.

Cecília deixava as lágrimas rolarem pelo rosto, enquanto encarava o chão. Quando Angra lhe tomou a lança e foi falar com os kobolds pedindo perdão por sua atitude. A feiticeira até esticou a mão tentando alcançá-la para falar alguma coisa como "não, eu sou a culpada, eu me perdi em minha arrogância", quando parou súbito, ao ouvir o grito de Angra.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Igb3vKtAngra...?

Ela havia levado a lança ao rosto, mas estava de costas. O grito de dor era um urro gutural, o que teria feito? Foi quando Angra virou-se para ela para falar sobre o preço de suas ações que ela viu o olho fechado escorrendo sangue em abundância.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 TDiLCWWNão!!!!!!!! Angra!

Seu primeiro impulso foi de raiva: queria matar todos os kobolds para Angra não ter mais com quem se desculpar se ferindo. Seu segundo impulso foi de revolta: queria chacoalhar Angra pela estupidez do ato, em dar um olho por um erro que outros cometeram. Uma família? Cecília não pediu por isso, não queria que os outros pagassem por seus atos. O terceiro impulso e foi o que sobrou, a tristeza. Abaixou a cabeça e levou as mãos ao rosto para chorar e soluçar.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
0_Sol
JOGADOR


Mensagens : 102

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptySeg Dez 10, 2018 12:21 am

Ikarus estava consternada com o que Cecilia havia feito. E o sentimento tinha piorado com a resposta. Porém, antes que a elfa pudesse responder, antes mesmo de formular a resposta que deveria dar, Angra estava entre elas. A amiga sempre sabia o que dizer, sempre com a resposta na ponta da língua. Sabia enconrajar quando necessário, ferir quando preciso.

Não tinha duvidas que resolveria esse problema com a feiticeira da melhor forma possível. Por isso permitiu relaxar sua tensão um pouco.

As palavras eram pesadas, e fortes. Nem por isso deixavam de carregar a gentileza e carisma da paladina.

Ikarus observou o tapa, as palavras... Observou enquanto caminhava, lança em mãos, em direção aos Kobolds. Por um instante, mais curto que uma batida de coração, pensou que poderia massacrar todos os kobolds ali.
"Nunca! Ela nunca faria algo assim. Envergonhe-se, Ikarus, por pensar algo assim"

Então o grito. E mais rápido do que seria possível reagir Angra perfurou o próprio olho. Mais tarde, nas horas que passaria pensando nessa cena, e em como poderia ter impedido a elfa do céu culparia sua própria lentidão pelo ferimento.

No instante que a primeira gota de sangue tocou o chão, Ikarus já estava ao lado da amiga. Com o bater violento de suas fortes asas, cobrira a distância em um instante, mais rápido que suas pernas jamais seriam capazes.



ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 1JgFJE1- Oh, Angra você sabe que eu não tenho poder suficiente para curar esse tipo de ferimento ainda.
* Dizia enquanto acariciava de leve o rosto da companheira. *
- Mas posso pelo menos amenizar a sua dor e fechar sua ferida.
- E não há não para esse pedido. - um riso triste perpassou os lábios da elfa.
* Uma onda de calor e luz se espalhou pela caverna *
- Que a luz e o calor de Azgher curem esse corpo ferido. Curar Ferimentos Leves
As lágrimas caíram no chão misturando-se ao sangue de Angra.

Enquanto lagrimas teimosas insistiam em descer por sua face avermelhada, a abençoada recitava baixinho, como que para si mesma.



Ikarus
- Que o poder e Azgher, aquele que tudo vê, abençoe esta mulher. Que sua justiça seja reconhecida. Que seus atos aceitos.
- Que a visão não lhe falhe. Que o olho não falte. Abençoa a visão desta guerreira. Que dá tanto em nome do que é certo. Que luta pra corrigir o que a guerra destrói. Que luta por amor. Que caminha pelo caminho da luz. Que queima como o Fogo Rubro, em seu corpo e alma....
Ikarus falava muito baixo para qualquer um escutar. Mas as palavras não pararam... Ficou ali, rezando em silêncio, pela primeira vez, para o Deus que a abençoara.


Ação:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
John Lessard
ADMINISTRADOR
John Lessard

Mensagens : 201

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptyTer Dez 11, 2018 12:23 pm

Parte 3 - A Caverna dos Kobolds

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 WyrmGuard_Kobolds_by_DaveAllsop

A determinação de Angra chocava a a todos. A ponta negra da lança perfurou seu olho, explodindo em sangue, destruindo o globo ocular. Aquele era o preço que ela resolvera pagar para compensar os kobolds rendidos e dar uma lição em Cecília. A feiticeira desatou a chorar, enquanto Ikarus vinha em seu auxílio, lhe curar e reconfortar.

Os kobolds se encolheram, confusos e assustados, enquanto os reféns pareciam fazer o mesmo. O momento de comoção era grande e demorou um pouco para que todos se recuperassem e decidissem o que fazer. Cecília estava chorosa e envergonhada num canto, quando Angra tomou as rédeas da situação e libertou os prisioneiros e disse que deveriam voltar. Delilah e Roselynn assistiam tudo de longe, caladas. Os kobolds não eram mais uma ameaça, não sem a Mãe para força-los a atacarem os humanos.

Voltaram pelos túneis de rochas naturais e com certa dificuldade alcançaram o topo da ravina. Arekus estava lá, de guarda e parecia um tanto envergonhado. Quando mirou Angra, abaixou a cabeça, não disse nada. O grupo voltou para Gallen sob um clima estranho, com um amargor na boca. As crianças e adolescentes foram recebidos com choro e alegria... Mas nem todas, duas famílias ficaram esperando em vão o retorno de seus filhos. Ainda faltava duas, presas na Torre do Feiticeiro, assim como o guerreiro loiro.

Citação :
Angra recebeu a desvantagem Caolho e também +1 PA

Citação :
Fichas e Status
Roselynn: <> PV 19/19 <> CA 16/16 <> PM 0/0 <> PE: 0/0 <> PA: 1 <> Condição:
Cecília: <> PV 14/14 <> CA 21/13 <> PM 3/13 <> PE: 0/0 <> PA: 1 <> Condição:
Angra: <> PV 22/29 <> CA 19/19 <> PM 0/0 <> PE: 3/3 <> PA: 3 <> Condição:
Ikarus <> PV 24/24 <> CA 18/18 <> PM 6/11 <> PE: 0/0 <> PA: 1 <> Condição:
Delilah: <> PV 13/22 <> CA 20/18 <> PM 0/0 <> PE: 3/3 <> PA: 1 <> Condição:
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://forumdomamute.forumeiros.com
DiceScarlata
JOGADOR
DiceScarlata

Mensagens : 163

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptyQua Dez 12, 2018 4:33 am

Angra dos Cabelos de Fogo!

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 2mzcz2f

- Obrigada Ikarus, mas não foi um ferimento que causei, acreditando que seria curado agora.

*O amenizar da dor realmente foi um alivio. O corpo responde a altura, conforme partes importantes dele são feridas. Quanto mais agonizante, mais importante e perder o órgão da visão foi excruciante*

- O lanceiro negro me tirou três coisas. Minha filha, meu olho esquerdo e minha vida. Thyatis me deu como presente os dois últimos, para que pudesse recuperar o primeiro. Tudo o que fiz foi devolver a ele um desses presentes. Toda vida importa. Era só o que eu tinha.

*Tocou o ombro de Ikarus e caminhou em direção a Cecilia, abaixada e chorando. Se colocou de joelhos a frente dela e tomou suas mãos*

- Já foi.

*Sorriu*

- Não importa se aconteceu a dois minutos ou dez anos, o passado se foi. Nada dele importa além da lembrança e do que aprendemos. Não podemos mudá-lo. Mas temos a dádiva do agora, esse lindo "presente" que nos ajuda a ansiar pelo amanhã. E tanto no agora, quanto no amanhã, preciso de você Cecil.

*Apertou mais forte as mãos, sentiu o peito doer*

- O homem que me ensinou a lutar e liderar, foi levado pelo feiticeiro. Sozinha, sou incapaz de salvá-lo. Minha pequena e ainda sim, grandiosa rainha dourada, me ajude. Se está arrependida, me ajude. Se quer compensar, me ajude. Se busca uma segunda chance... Me ajude.

*A puxou para si e se colocou de pé*

- Somos agora um grupo. Reunidas depois de derrotadas. Vamos nos erguer, de novo e de novo. Somos as Penas da Fênix que sempre retornarão para queimar o que existe de mau. E os que o semeiam terão pesadelos sabendo que sempre voltaremos a eles.

*Encarou Rose, Delilah e Ikarus*

- Eu preciso de vocês. Meu amigo... Meu mentor está em perigo. Vamos levar estes reféns. Vamos destruir a árvore da tormenta. Vamos descansar... E amanha... Guerra.

*Ofereceu a lança a frente do corpo, convidando suas aliadas a juntarem as armas*

- Estão comigo, minha incandescentes aves de fogo?

*E uma chama ainda maior, ardia em seu olho. Depois disso seguiriam de volta a vila. Uma formação segura: Ikarus no céu, os vigiando e alertando de perigos. Delilah a frente, mostrando o caminho. Rose escondida. Angra no meio e Cecilia atrás, juntas*

*E de mãos unidas*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Aldenor
JOGADOR
Aldenor

Mensagens : 132
Localização : Curitiba

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptyQua Dez 12, 2018 11:15 am

A vontade de Cecília era fugir quando Angra se aproximou. Mas estava incapaz de se mover, paralisada e confusa. As mãos quentes de Angra com suas palavras de incentivo lhe deram forças para ficar de pé de novo, rosto inchado onde as lágrimas marcaram o rosto com a sujeira da caverna.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 TDiLCWWT-tá...

Disse com uma voz infantil, fragilizada. Não conseguia dizer nada, mas continuaria com ela até o fim.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
John Lessard
ADMINISTRADOR
John Lessard

Mensagens : 201

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptyQui Dez 13, 2018 1:54 pm

Parte 4 - A Torre do Feiticeiro

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 7cec14b12cca28aafcb3a161a333a698

Após entregarem os reféns a suas famílias, Angra retornou com o grupo até a árvore maculada. Delilah sabia que mesmo que destruindo a árvore, ela surgiria novamente após algumas semanas, se um clérigo capaz não santificasse o local. Mesmo assim, sobre as bençãos de Ikarus e comandos de Angra, choveu flechas e magias contra a árvore da tormenta. Após algum tempo, sob o manto de Tenebra, a árvore urrou e se contorceu e se desfez lentamente, escurecendo e definhando. Voltaram então, mas com a promessa que viriam aqui mais uma vez.

***

O céu estava nublado no dia seguinte, prevendo o que aquele grupo viria a enfrentar. Arekus comeu com as demais, mas preferiu ficar na vila, protegendo caso os kobolds quisessem retaliar. Sob olhares esperançosos, o grupo partiu floresta adentro novamente, após comerem (de graça, diga-se de passagem) e se prepararem.

A floresta era a mesma, mas parecia diferente. Não precisavam mais se preocupar com kobolds, aliás, não viram nenhum deles enquanto atravessavam o terreno, muito menos seus lobos dracônicos. O clima era fresco, os passarinhos cantavam no alto das árvores. Alguns esquilos corriam por entre árvores e arbustos. A caminhada era longa e por isso precisaram parar para comer perto do meio dia. Voltaram a andar logo depois. O clima mais tranquilo começou a ficar para trás, quatro horas de caminhada e passaram pela ravina do dia anterior, a torre era visível de onde estavam, sombria, erguendo-se acima das árvores. Feita de pedras colocadas, coberta de musgo... Parecia bastante mundana, apesar de servir como lar de um feiticeiro. Que horrores ela guardava?

Se aproximaram finalmente, a base se encontrava numa clareira, atrás, um paredão rochoso. A porta era grande, três metros no mínimo. Madeira maciça, reforçada com ferro negro. Não parecia haver nenhum guarda, ninguém por perto. Após alguns passos, entretanto, Cecília, Angra e Roselynn perceberam uma figura com mais de três metros de altura se esgueirando por entre a floresta. Tentava se manter oculta, mas não parecia muito boa nisso. Um ogro com a cara toda deformada com caroços surgiu.

Citação :

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 31cec34d6a2158bf4e27a5759f32c43f

- AAAAAAaaaaaahhhhhhh!!!

Os braços eram como toras de madeira, músculos torneados e embrutecidos. A cabeça era chata, o rosto deformado. O corpo gigante era coberto por um gibão de peles velhas, fedendo a sangue, fezes e urina. Numa das mãos carregava um tacape, uma arma rústica de madeira, grotesca e retorcida.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Photo4940479066906142701

Iniciativa:
 


Citação :
Fichas e Status
Roselynn: <> PV 19/19 <> CA 16/16 <> PM 0/0 <> PE: 0/0 <> PA: 1 <> Condição:
Cecília: <> PV 14/14 <> CA 13/13 <> PM 13/13 <> PE: 0/0 <> PA: 1 <> Condição:
Angra: <> PV 25/29 <> CA 19/19 <> PM 0/0 <> PE: 3/3 <> PA: 3 <> Condição:
Ikarus <> PV 24/24 <> CA 18/18 <> PM 11/11 <> PE: 0/0 <> PA: 1 <> Condição:
Delilah: <> PV 16/22 <> CA 18/18 <> PM 0/0 <> PE: 3/3 <> PA: 1 <> Condição:
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://forumdomamute.forumeiros.com
Aldenor
JOGADOR
Aldenor

Mensagens : 132
Localização : Curitiba

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptyQui Dez 13, 2018 2:28 pm

A estadia na vila acalmou o coração de Cecília aos poucos. Estava sem ânimo para conversar ou falar palavras de esperança àquele povo. Ela se agarrou ao desespero das famílias ainda seus filhos, pois precisava daquilo. Precisava se sentir mal, precisava se culpar.

Voltaram para a floresta a fim de dar cabo da árvore da Tormenta, para evitar que sua presença nefasta causasse maiores danos. Ali, Cecília descarregou sua mágica com raiva e frustração. Sempre aos berros, dando pouco tempo para respirar, emendando um ataque mágico após o outro. No fim, estava exausta, suando.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Wya8PDs...

Voltaram para a vila para descansar, mas Cecília mal conseguiu dormir. Sonhou com o passado, com seus pais e com uma versão distorcida do presente, em que ela cortava o olho de Angra com Hikari-Hime, queimava as asas de Ikarus com sua magia e perfurava o coração de Delilah com uma lança rubra.

No dia seguinte, alimentou-se o mínimo, sem prazer algum. Encolhia-se para comer, olhos apenas em seu prato. Respondia a quem falava com ela com palavras simples ou gestos com a cabeça.

Partiram e por horas, andaram pelo frescor da floresta, o que era um alívio para o aperto que sentia no peito. Durante o almoço, como numa epifania, lembrou-se que não havia preparado suas magias.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 O1ki0BWSuiaerl Litrix

Suiaerl Fethos

Temep Zhin

Rifstejar Ghipsklap Cayosin
 

Cada palavra dita sem ânimo, mas com o gesto certo, provocava o mesmo efeito: uma aura púrpura a envolvia o corpo todo brilhando intensamente antes de apagar, para dar vez a outro feitiço com o mesmo efeito. Suas proteções, sua mobilidade e seu novo poder.

Após o almoço, mais algumas horas de caminhada até encontrarem a torre do feiticeiro. Alguém que provavelmente possui proteções contra mísseis mágicos, mas Cecília tinha outra arma agora.

Em silêncio, Cecília mirava baixo, cabisbaixa quando viu uma criatura espreitando na floresta. As palavras vieram lentas, pois estava há muito tempo calada.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 3N8Dy7vG-gente... acho que é um...

O ogro se apresentou gritando com seu fedor, com seu tacape enorme, com sua sede de sangue. Cecília estava atenta e saiu dali rapidamente, parando atrás de Roselyn. De seu antebraço até as pontas dos dedos surgiu uma fina linha dourada do qual ela disparou, com um movimento de braço como se fosse uma espada, uma lâmina mágica. Porém, o efeito errou o ogro.

Ação de Cecília escreveu:
Movimento: se desloca para i-7
Padrão: dispara uma lâmina invisível menor. Ataque 9, erro.
Reação: se for atacada pelo ogro, usará o talento Luta Galante para substituir o valor da CA.

Anteriormente, Cecília conjura armadura arcana (1 PM), escudo arcano (1 PM), recuo acelerado (1 PM) e lâmina invisível menor (2 PM) todas duradouras.

CA 21, Desl. 18m, PM 8.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
DiceScarlata
JOGADOR
DiceScarlata

Mensagens : 163

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptySab Dez 15, 2018 1:39 am

Angra dos Cabelos de Fogo!

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 2mzcz2f


*Sabia que seus atos não curariam o coração de Cecilia. Muito cedo. Mas tal qual cada chama tem seu próprio tempo para consumir, cada um precisa de seu momento para se perdoar e se dar uma segunda chance. Estaria lá para ela. * 

*O reencontro dos reféns foi tocando e Angra acenou contente com cena que via. Mas havia feito uma promessa e agora regressava a árvore para destrui-la. Em vão claro, pois Delilah sabia que seria inúti. Restava então o descanso e a marcha do dia seguinte* 

*Para mais uma aventura. Para Rodrick* 

*Para a torre sob o olhar do feiticeiro* 

________________________________________________________


- Um guardião. TSC!! Ouçam!!! A força e o alcance da arma desta criatura representa uma ameaça grande demais para nós. Não podemos nos permitir ferir logo no inicio! Ataquem e recuem. Cercam a criatura e não sejam um alvo!! Delilah, Rose, uma saraivada! Ikarus, se puder, cegue-o! Cecilia, flanquear!! E por fim, sobrevivam!!

*Mesmo assim Angra correu pelo lado de Delilah, deslizou pelo chão como se este fosse gelo e se ergueu bem atrás do monstro* 

*Ela era a isca*

*Tentava ser um chamariz, fazer com que ele olhasse para ela e não suas aliadas* 

-
CRIATURA ABISSAL!! EU SOU ANGRA DOS CABELOS DE FOGO!! PELAS CHAMAS DE THYATIS TRAGO UMA PROFECIA A TI: VOCÊ PERECERÁ PELA MINHA LANÇA E SEU SENHOR SERÁ O PRÓXMO!!!

*Então engoliu seco, erguendo o escudo e apertando firme a lança na mão. Sabia que um impacto daquele tacape não seria simples... mas se pudesse redirecioná-lo...* 


- VENHA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

*Bradou, EM CHAMAS*



AÇÃO:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
John Lessard
ADMINISTRADOR
John Lessard

Mensagens : 201

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptyDom Dez 16, 2018 8:29 pm

Parte 4 - A Torre do Feiticeiro

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 7cec14b12cca28aafcb3a161a333a698

Cecília se apressou em recuar e liberar sua lâmina de vento cortante contra o ogro. Em sua afobação, entretanto, a magia passou ao largo da criatura e partiu o galho de uma árvore mais atrás. O monstro pareceu confuso, até que Angra começou a falar. Ele não parecia entender muito bem, Ikarus e Delilah assimilavam a situação, enquanto a ruiva finalmente se postava diante do guarda gigante, gritando e chamando a atenção para si. Ele pareceu confuso por um segundo, olhou de Angra para Delilah, e então de volta para Angra. O tacape fora erguido com facilidade e bateu contra mulher. Imediatamente sua guarda abriu-se, a arma de madeira bateu contra seu queixo, a cabeça fora jogada para trás, sangue subiu e a pele se esfolou. Angra cambaleou alguns passos, mas manteve-se firme. O ogro era muito forte fisicamente.

Citação :
Angra foi atingida e usou seu Duro de Ferir

[img]ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 QA2qdwD[/img]

Iniciativa:
 


Citação :
Fichas e Status
Roselynn: <> PV 19/19 <> CA 16/16 <> PM 0/0 <> PE: 0/0 <> PA: 1 <> Condição:
Cecília: <> PV 14/14 <> CA 21/13 <> PM 8/13 <> PE: 0/0 <> PA: 1 <> Condição:
Angra: <> PV 25/29 <> CA 19/19 <> PM 0/0 <> PE: 3/3 <> PA: 3 <> Condição:
Ikarus <> PV 24/24 <> CA 18/18 <> PM 11/11 <> PE: 0/0 <> PA: 1 <> Condição:
Delilah: <> PV 16/22 <> CA 18/18 <> PM 0/0 <> PE: 3/3 <> PA: 1 <> Condição:
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://forumdomamute.forumeiros.com
fantasmageek
JOGADOR


Mensagens : 27

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptyQua Dez 19, 2018 1:45 am

Estava estática. Roselynn vira a mulher ser derrubada com a flecha da Mensageira com admiração inegável. Assim que a ponta afiada acertou a mulher, o sangue da mesma transformou-se em luz, e enquanto espirrava e transbordava, limpava tudo ao seu redor.
 
“A Mensageira...”
“Ela transborda a benção da Dama.”
“Olhos como os de um falcão.”
“Aprenda com a mesma.”
“Será que a Mensageira está querendo se tornar a Executora?”
“O poder está claro.”
 
Virou-se encarando a transformação do local, conseguia ouvir a vida e a energia positiva voltando, como o tilintar de armas atingindo o som, ouvia os sinos que só poderiam ser um prelúdio da jornada que seguiria em frente e das novas conquistas.
Sendo essa nova pessoa, sou finalmente digna da Dama!
Encarou o teto da caverna com um sorriso. Tudo daria certo daqui pra frente, não? Ela era mais do que capaz, conseguiria fazer o que desejasse! Conquistar o que quisesse e finalmente se vingar de...
 


ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Lestat11 - Que coisa patética.
 
 Virou-se em direção a voz e viu um homem pálido, aproximando-se do corpo da mulher derrotada. Ele olhava o corpo da mesma com falso interesse, inclinando-se para analisar o olhar vítreo dela. Quem olhasse de longe, poderia não perceber o sorriso desdenhoso em seus lábios e confundir o gesto com um ato de solidariedade.
Roselynn segurou com força seu arco, direcionando sua outra mão com cuidado para a aljava de flechas de forma a não atrair a atenção do estranho. Contudo logo congelou, quando ele direcionou seu olhar cruel a ela.
 



ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Lestat11 - É patético você achar que subjugar esse peão poderia interferir algo nos Grandes Planos.
 
Roselynn viu Cecília se aproximando dele, mas não dando atenção e se agachando perto do corpo.
 


ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Lestat11 - Ah, não se engane, só você pode me perceber aqui.
 
Sem acreditar, Roselynn virou-se para a Mensageira, mas a viu relaxada, não notando o perigo tão perto de si.
 


ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Lestat11 - Ou melhor, você não está mais com elas.
 
Ele sorriu um sorriso diabólico e quando olhou ao redor, percebeu que não estava mais na caverna. Era como se estivesse dentro de uma sala requintada, decorada de forma elegante e rica em mobília e decoração. Contudo nada lhe trazia a noção de conforto ou familiaridade, pelo contrário, tudo estava pintado de um tom Branco enlouquecedor.
 


ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 927_no10 - Aonde estou? O que você fez?! O que aconteceu com as outras?
 
Ele deu uma risada curta e sentou-se, segurando um cacho de uvas e se demorando a saborear algumas delas antes de responde-la.
 


ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Lestat11 - Realmente, como uma criança, não sabendo um pingo do que está acontecendo ao seu redor. – ele deu uma pausa e colocou o restante dos cachos numa tigela à sua frente.
- Só vim dar-lhe um aviso, criança. De que suas tentativas ridículas de ataque não afetam o que está por vir.
 


ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 927_no10 - E o que está por vir? Quem é você?!
 
Ele suspirou profundamente, antes de olhar de soslaio para ela e esmagar uma uva com as mãos.
 


ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Lestat11 - Realmente patética.
 
E logo um grito foi ouvido, como um urro de dor. Roselynn virou-se e estava de volta a caverna. Angra derramando lágrimas de sangue de um dos olhos. Uma risada cruel ecoou pela caverna.
 
Sacudiu a cabeça para tentar espantar as lembranças confusas. Depois disso não houve muita balburdia para o grupo. Seguiu perambulando entre a caverna, à procura durante todo o trajeto de flechas que poderiam ser reutilizadas. Seguiram até a vila, retornando as crianças e reencontrando Linete.
Após checar que a amiga estava bem, seguiu para seu quarto, sem muita atenção dar a conversa que teve com a companheira de jornada. Sua mente já muito barulhenta para prestar atenção as conversas externas ou sequer dormir direito.
 
“O Branco.”
“Ele irá consumir tudo.”
“Idiota, acreditando que sabia de algo.”
“Pensou que era quem?”
“Como se a Dama se importasse.”
“Ela deu suas bênçãos para a Mensageira.”
“Para você apenas o tormento.”
“Agora nem mais sabe quem é.”
“E não ajuda mais quem conhece.”
“Ajudar? Para novamente machucar alguém.”
“Claro, porque se estivesse atenta teria o visto.”
 
Quando acordou e seguiu para se alimentar durante a manhã, descobriu que Linete partira ainda mais cedo, para o que Rose não sabia e não tinha o ânimo para seguir em sua procura novamente.
Procurou pela Mensageira ao seu redor, parando apenas para observar a Rainha que olhava desanimada para seu desjejum. Não encontrando as asas escarlate que procurava, saiu e caminhou pela vila até avistar uma árvore frutífera. Pegou um de seus frutos, o que parecia mais vistoso e voltou.
Entretanto, ao retornar logo estavam todos se reunindo e guardou o mesmo entre suas vestes, até chegar ao seu quarto, e pegar tudo o que precisava.
Seguiram a jornada conforme planejado, pensou em se aproximar primeiro da Rainha, mas a mesma seguia a frente, apesar de parecer cabisbaixa. Aproveitou-se então da pausa que deram, esperando a mesma terminar seus encantamentos antes de se aproximar.


ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Screen10 - Majestade, como percebi que estava cabisbaixa, imaginei que poderia ser pela qualidade simplista da comida. – Estendeu a fruta, ainda vistosa, mas um pouco amassada pelo manuseio da moreau – Espero que algo diferente possa animar seu paladar.
 
Após finalmente trocar algumas palavras com a Rainha, seguiram viagem. Entretanto, não demorou muito e chegaram ao seu destino. O lar do feiticeiro. Será que ele poderia ser a resposta para sua jornada? Finalmente ter uma pista que lhe direcionasse ao caminho certo?
Mas suas conjecturas deveriam ficar para depois, pois logo percebeu um ogro na floresta. Sua face horrenda tentando se camuflar entre a natureza. Como se isso fosse possível, com aquele cheiro desagradável e altura absurda.
Viu a Rainha se movimentar para trás de si, porém talvez Roselynn a tenha atrapalhado ou seu ânimo afetara até mesmo seus ataques, pois ela errou.


ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Comics10 - Alteza, equilibre o poder de suas emoções e canalize apenas o necessário para essa batalha. – Fez uma curta cortesia – Seu poder é grande, assim como suas emoções são intensas.
 
Pausou um breve momento. Estaria falando para a Rainha apenas ou também para si? Bem, no meio de um combate nada disso muito importava. 


ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Comics10 - Se quiser resolver o que lhe afeta, terá de sobreviver primeiro e para isso deve focar nos obstáculos à frente e vencê-los. – Sorriu – Não importa o que digam, a cada batalha vencida estamos mais perto de conquistar o que buscamos.
 
Posicionou-se ao seu lado e então e armou seu arco. Pegando uma flecha de sua aljava e atirando no ogro, acertando com destreza.

Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Aldenor
JOGADOR
Aldenor

Mensagens : 132
Localização : Curitiba

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptyQua Dez 19, 2018 10:48 am

Cecília viu que o ogro era poderoso, pele dura e um inimigo que não se podia subestimar. Ela ergueu o braço e a lâmina dourada se refez. Roselyn lhe dedicou algumas doces palavras e Cecília as compreendeu. Deveria se concentrar melhor, suas emoções talvez fossem fortes demais. Meneou a cabeça para a moreau. Respirou fundo.

Com um movimento de golpe com espada, lançou uma onda dourada no monstro, na horizontal, passando por cima da cabeça de todas as outras aventureiras. Ao atingir o ogro, entretanto, a lâmina se desfez em milhares de partículas como se quebrasse.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 17sP019E-ele é muito resistente... tenho uma reserva de energia para usar, mas não queria desperdiçar em um reles ogro.

Disse. Era quase impossível para Cecília não subestimar criaturas grotescas que nas histórias de seus pais eram adversários fracos demais.

Ação de Cecília escreveu:
Padrão: disparar um lâmina invisível menor com 16 e erra.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
0_Sol
JOGADOR


Mensagens : 102

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptyQui Dez 20, 2018 1:11 am

Ikarus passou a maior parte do percurso até a torre em silencio. parte por cautela, parte por estar presa em seus próprios pensamentos.

Por isso quando o Ogro surgiu demorou mais do que o necessário para reagir a sua presença.

Seus pensamentos lhe atormentavam e lhe tiravam a concentração.

*Disparou uma flecha, mas errou o grande monstro a frente.*

Ação:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
DiceScarlata
JOGADOR
DiceScarlata

Mensagens : 163

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptySab Dez 22, 2018 3:32 am

Angra dos Cabelos de Fogo!

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 2mzcz2f

*O golpe atingira seu escudo e lançara seu braço para trás. Por pouco não conseguiu evitar um dano letal. Olhou o inimigo de ponta a ponta* 

-
Delilah flanqueie! Ele ao centro, somos norte e sul. Cecilia, auxilie com magias que não drenem suas forças. Aqui é a torre do feiticeiro, hoje VOCÊ será nosso trunfo. Ikarus, me pesa, mas recorro a sua benção. Precisamos do máximo de nós para acertá-lo!! Rose, espere a chance oculta e auxilie Cecil no dano!!

*Era isso. Continuaria mantendo os olhos do monstro em si o maximo que pudesse. Girou o pulso e por consequência a lança negra. Sentiu sua força. Ferroou com o braço a ponta procurou o caminho até a carne do gigante* 

-
VAMOS!!! LUTE COMIGO!! AAAAAAAAAAAAAAH!!!

*Continuou gritando e batendo a lança contra o escudo, tentando manter a criatura em seu encalço*

AÇÃO:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fenris
JOGADOR
Fenris

Mensagens : 77

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptySab Dez 22, 2018 11:14 pm

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Divider-clipart-forum-6

Aquela coisa havia a pego desprevenida, e a alquimista precisou de alguns instantes para se adaptar. Mas naquela surpresa, naquele caos mental, memórias voltaram à sua cabeça.

~

Ela encarava um homem. Corpo de forma esguia, saltando e rodando em um padrão caótico, um cajado em mãos. Ela segurava uma arma, que não era sua cimitarra. O homem rodava, incessante, um dervixe caótico que era a manifestação viva em combate do próprio Nimb. A mulher bloqueou um ataque do mesmo, mas o cajado se arrastou no chão, a outra extremidade levando Delilah ao chão. Aquele estilo de combate à fascinava. De alguma forma aquilo começou à lhe parecer mais e mais natural.


~

Caracterizada por não ter uma base fixa, a pirueta de Nimb envolve balançar o corpo de maneira frenética e imprevisível. Com um giro inesperado, mesmo um movimento descoordenado pode virar um ataque letal! Ou não. Infelizmente, é muito difícil que um adversário caia duas vezes neste truque.

A mulher deslizou para o lado, ficando paralela à Angra, aplicando um golpe com a mão esquerda, que a criatura bloqueou com o tacape. Não importava. Delilah cravou a lâmina no tacape, o usando como alavanca para rodopiar ainda mais alto e cortar a criatura na altura do ombro, pousando no chão enquanto ainda rodopiava.


ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Divider-clipart-forum-6

OFF escreveu:
Vai para I10. Usa Pirueta de Nimb. Jogada de ataque 27. 5 de dano.  
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
John Lessard
ADMINISTRADOR
John Lessard

Mensagens : 201

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptyDom Dez 23, 2018 7:01 pm

Parte 4 - A Torre do Feiticeiro

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 7cec14b12cca28aafcb3a161a333a698


O grupo continuava seu embate contra o guardião da torre. Uma flecha de Roselynn estava cravada no braço do ogro, enquanto outra lâmina de vento cortante passava ao lado do monstro sem feri-lo. Ikarus também disparou uma flecha que quebrou-se contra o tacape rústico. Angra se reposicionou e com sua nova arma, afundou a ponta de adamante no ombro do monstro. A criatura grunhiu e recuou meio passo, contrariado. Neste instante Delilah já estava em suas costas. Ele tentou virar depressa, aparando a lâmina da cimitarra com seu tacape, porém a ranger num rodopio caótico, apoiou seu pé na arma saltou e desceu cortando o peito do ogro, tirando mais sangue. O ogro começava a cambalear finalmente.

Ergueu seu tacape finalmente contra Delilah, sua última agressora. A moça saltou por cima do tacape, mantendo o corpo na horizontal, batendo com a cimitarra para baixo e o aparando, sem danos a seu corpo. Voltou ao chão aterrizando flexionando os joelhos.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 MA7CMu0

Iniciativa:
 


Citação :
Fichas e Status
Roselynn: <> PV 19/19 <> CA 16/16 <> PM 0/0 <> PE: 0/0 <> PA: 1 <> Condição:
Cecília: <> PV 14/14 <> CA 21/13 <> PM 8/13 <> PE: 0/0 <> PA: 1 <> Condição:
Angra: <> PV 25/29 <> CA 19/19 <> PM 0/0 <> PE: 3/3 <> PA: 3 <> Condição:
Ikarus <> PV 24/24 <> CA 18/18 <> PM 11/11 <> PE: 0/0 <> PA: 1 <> Condição:
Delilah: <> PV 16/22 <> CA 18/18 <> PM 0/0 <> PE: 3/3 <> PA: 1 <> Condição:
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://forumdomamute.forumeiros.com
fantasmageek
JOGADOR


Mensagens : 27

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptyQua Dez 26, 2018 1:41 pm

Roselynn admirou suas colegas lutando, Delilah havia elegantemente se posicionado nas costas do ogro e agora sangue jorrava do mesmo com o ataque surpresa.
Mirou mais uma vez no monstro, mas perdera o timing, contrariando a ordem de Angra, e errara a flecha.

Olhou para Delilah com uma nova perspectiva, encantada com os movimentos da mulher de cabelos brancos.

"São movimentos graciosos como os de um gato."
"Encantadores e mortíferos como de uma serpente."
"Essa é a essência de uma ladina."
"Aonde está a sua destreza?"
"Cria um novo eu apenas para ter uma desculpa de como ser fraca."
"Nada mais que um gatinho doméstico."

Parou um momento, vendo Delilah como uma serpente com orelhas de gato. Uma serpente...

"Ela está com eles!"
"Ela foi treinada pelas Serpentes."
"E agora se exibe em sua frente sabendo que está fraca demais para derrotá-la."
"Iludida demais para percebe-la."

Maldita.

Sua admiração transformou-se em repulsa. Iria esperar o momento certo e cuidar daquela mulher no momento apropriado. Ela poderia se tornar uma nova pessoa, mas suas feridas e cicatrizes ainda lembravam-na de quem era e do porque estava ali.

Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Aldenor
JOGADOR
Aldenor

Mensagens : 132
Localização : Curitiba

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptyQua Dez 26, 2018 4:23 pm

Cecília concentrava-se no ogro, mas era difícil com Angra e Delilah movendo-se o tempo todo, fazendo o grande corpanzil do monstro ir pra lá e pra cá. A jovem feiticeira ainda tinha que se acostumar com seu novo poder.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 17sP019Tsc. Isso deveria ser mais fácil.

Não podia usar mais de seu poder, pois isso drenaria um pouco de sua energia e ela tinha que se resguardar. A batalha contra o feiticeiro era o mais importante e é nela que Cecília seria verdadeiramente testada.

Fez o movimento de espada com o braço, lançando de novo uma onda dourada cortante. Porém, como antes, a energia não fez nenhum mal ao ogro.

Ação de Cecília escreveu:
Padrão: dispara uma lâmina invisível menor, ataque 13. Erro.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
John Lessard
ADMINISTRADOR
John Lessard

Mensagens : 201

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 EmptySex Dez 28, 2018 10:05 pm

[quote="John Lessard"]
Parte 4 - A Torre do Feiticeiro

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 7cec14b12cca28aafcb3a161a333a698

Ikarus fez mira por entre as companheiras, tinha dificuldade, porém sua seta após deixar seu arco atingiu o ogro perto da garganta. O monstro pareceu se assustar, grunhiu baixo e cambaleou um pouco, cruzando as pernas. Pareceu que iria cair, tombar deliberadamente para frente com seu rosto deformado contra a grama, porém apoiou-se em seu tacape, como se fosse uma bengala. Ergue-se sobre Angra, ainda continuando a lutar.

ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 MA7CMu0

Iniciativa:
 


Citação :
Fichas e Status
Roselynn: <> PV 19/19 <> CA 16/16 <> PM 0/0 <> PE: 0/0 <> PA: 1 <> Condição:
Cecília: <> PV 14/14 <> CA 21/13 <> PM 8/13 <> PE: 0/0 <> PA: 1 <> Condição:
Angra: <> PV 25/29 <> CA 19/19 <> PM 0/0 <> PE: 3/3 <> PA: 3 <> Condição:
Ikarus <> PV 24/24 <> CA 18/18 <> PM 11/11 <> PE: 0/0 <> PA: 1 <> Condição:
Delilah: <> PV 16/22 <> CA 18/18 <> PM 0/0 <> PE: 3/3 <> PA: 1 <> Condição:
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://forumdomamute.forumeiros.com
Conteúdo patrocinado




ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO   ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO - Página 7 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
ATO II - O VALE SOB O OLHAR DO FEITICEIRO
Voltar ao Topo 
Página 7 de 10Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte
 Tópicos similares
-
» Long-gone London: Capítulo III – A toada da traição

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Fórum do Mamute :: PbF (Play by Fórum) :: Campanhas :: Johnverse :: ERA DE ARSENAL-
Ir para: